Publicado em 2018 pela Editora Fiocruz, o livro ‘Arquivo de um sequestro jurídico-psiquiátrico: o caso Juvenal’ tem origem na tese da autora, orientada pela professora Debora Diniz.
A obra recebeu menção honrosa na categoria ‘Ciências da Vida’ do 5º Prêmio Abeu, que divulgará os vencedores em 22 de novembro

 

Pesquisadora da Anis – Instituto de Bioética e doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Universidade de Brasília (UnB), a psicóloga Luciana Stoimenoff Brito recebeu menção honrosa com o livro Arquivo de um sequestro jurídico-psiquiátrico: o caso Juvenal no Prêmio Abeu 2019. Publicada pela Editora Fiocruz em 2018, a obra conquistou a menção na categoria Ciências da Vida.

O anúncio de indicados e menções honrosas foi feito pela Associação Brasileira das Editoras Universitárias (Abeu) em 1º de outubro e os vencedores de cada categoria serão conhecidos no dia 22 de novembro, em cerimônia que será realizada em São Paulo.

Título que inaugurou a coleção Bioética e Saúde da Editora Fiocruz, Arquivo de um sequestro jurídico-psiquiátrico tem origem na tese de doutorado da autora, que foi orientada pela professora Debora Diniz. O livro investiga a história de Juvenal, homem que ficou mais tempo confinado em um manicômio judiciário no Brasil: 46 anos.

Ao analisar o dossiê de Juvenal, abandonado à espera de uma decisão oficial sobre sua experiência, banido do convívio social e do reconhecimento de direitos, a autora – que concluiu o mestrado também na UnB, no Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura – se debruçou sobre arquivos para realizar uma análise das práticas discursivas de saber e poder sobre o homem, revelando o funcionamento de uma “máquina de abandono que confiscou a existência de Juvenal”.

Com período sanduíche na Universidade de Ottawa (Canadá) durante o doutorado, Luciana Brito é graduada em Psicologia também pela UnB.

Editora Fiocruz no 5º Prêmio Abeu
Além da menção honrosa, a Editora Fiocruz é finalista desta quinta edição do prêmio. O livro Clínica, laboratório e eugenia: uma história transnacional das relações Brasil-Alemanha recebeu indicação na categoria Ciências Sociais. De autoria de Pedro Muñoz, o título foi lançado em 2018, em coedição com a Editora PUC-Rio. A obra de Muñoz concorre com outros dois livros: Escritos de liberdade: literatos negros, racismo e cidadania no Brasil oitocentista (Editora Unicamp) e Joias da Floresta: antropologia do tráfico de animais (Editora da Universidade Federal de São Carlos).

Resultado de amplas pesquisas ligadas à tese de doutorado do autor, “Clínica, laboratório e eugenia” traz importante contribuição para o entendimento das relações entre Brasil e Alemanha numa perspectiva histórica transnacional, que tem como foco os entrelaçamentos e a circulação do conhecimento. O resultado é um livro inovador, que enfoca o trânsito e a circulação dos cientistas em redes construídas em viagens, congressos, cursos e publicações.

Pedro Muñoz é mestre e doutor em História das Ciências pela Fiocruz. Seu doutorado contemplou período sanduíche na Alemanha, na Freie Universität Berlin. O autor é graduado em Psicologia, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – Uerj.

O prêmio
A premiação foi criada em 2015 pela Abeu com o objetivo de incentivar a qualificação das edições das casas editoriais universitárias, além de fomentar a produção técnico-científica em relação à excelência dos conhecimentos veiculados pelos livros e à concepção estética das obras. A edição 2019 engloba oito categorias, sendo três finalistas em cada. A novidade deste ano é a categoria Tradução.

Sobre a Editora
Criada em 1993, a Editora Fiocruz surgiu da necessidade de tornar público e ampliar o acesso ao conhecimento científico nas áreas da saúde, criando um espaço para dar visibilidade aos resultados de pesquisas. Desde seu primeiro lançamento, em 1994, sempre teve como objetivo difundir livros em saúde pública, ciências biológicas e biomédicas, pesquisa clínica, ciências sociais e humanas em saúde.

Em 2018, completou 25 anos de existência, contabilizando um catálogo com mais de 460 títulos. A Editora reúne obras que disseminam não só a produção acadêmica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), mas de qualquer estudo de importância e impacto para a saúde em âmbitos nacional e internacional.