Pesquisa Nacional do Aborto

A Pesquisa Nacional do Aborto foi um estudo realizado em todo o Brasil urbano para conhecer a magnitude do aborto ilegal no país. O estudo de 2016 é a segunda edição e segue a mesma metodologia da Pesquisa Nacional do Aborto de 2010, também realizada pela Anis e UnB. A PNA 2010 recebeu o prêmio Fred L. Soper 2012, oferecido pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), um dos mais importantes prêmios da pesquisa em saúde no mundo.

A PNA 2016 contou com financiamento do Ministério da Saúde e do Fundo de Investimento Social ELAS. A coleta de dados foi realizada pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística – IBOPE Inteligência. Os coordenadores da pesquisa foram Debora Diniz (UnB/Anis/Fiocruz), Marcelo Medeiros (UnB/Ipea) e Alberto Madeiro (UEPI/Anis). O principal resultado da PNA 2016 é que uma em cada cinco mulheres aos 40 anos já fez, pelo menos, um aborto no Brasil. Em 2015, foram 417 mil mulheres no Brasil urbano, e 503 mil mulheres ao se incluir zona rural e mulheres não alfabetizadas. Assim, meio milhão de mulheres fez aborto em 2015 no Brasil. São pelo menos 1.300 mulheres por dia, 57 por hora, quase uma mulher por minuto.